terça-feira, 16 de abril de 2013

homenagem a poetas brasileiros


Não quero ser o cravo no teu vaso
nem os acasos de teus casos quero ser.
A mim me basta ser o vaso sem o cravo
com água pura para dar-te de beber...

Não quero ser a noite nos teus olhos
nem os luares que se acendem para ti.
A mim me basta ser a estrela que perdeste
quando em mim mesmo, por teus olhos, me perdi...

Não quero ser o dedo nos teus lábios
nem o silêncio em tua alma quero ser.
A mim me basta ser um nome em tua boca
quando a memória de meu nome te doer...


Aparício Silva Rillo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.