sexta-feira, 30 de novembro de 2012

clã para grupo fechado.



Vejo sangue coberto por toda parte
Sangue de inocência humana
Sacrifícios que se trazem para seu altar divino
Todos saúdam a rainha chegou
Em sua suave malicia e seu olhar ameaçador
Clamam seus súditos que a seguem fervorosamente
Ajoelhem-se todos, sua rainha chegou
Uma gargalhada soa em seus lábios amaldiçoados pelo mal
Seu plano saiu melhor do que previa
O povo é tão idiota, pensa ela
Tão de fácil manipulação
Com um sorriso promessas falsas e ameaças
Dinheiro se compra qualquer um
Mas minhas vitimas também são de minha inteira proteção
Quem as toca morre!
Filhos meus são únicos
Pedimos fidelidade eterna
quem entra no círculo jamais sai dele.
é um elo que se permanece toda a vida,
podes não participar mais dos planos, mas está nele
o segue e o protege como família.
O preço de traição é tão simples como a estrutura da perversidade aliada a lealdade excluviva
Uma morte dolorida e muito lenta
Para exemplificar que conosco ninguém brinca
Somos imbatíveis e invioláveis.
Nosso clã é único
Logo passaremos o trono para uma rainha mais jovem.
Pode dar morte, mas devemos seguir a tradição.
A deusa clama por sangue novo jovem e de sorriso belo e persuasivo.
Nosso clã nunca morre.
Pode diminuir, mas nunca morre.
De tempos em tempos pode-se nascer filhos da rainha que herdarão o trono se assim o quiserem e tiverem frieza o suficiente para tal opção
Mas querendo ou não filhos de filhos da família toda seguirão o clã
querendo ou não
Não há saída
Há uma escolha, se nasce assim, ou se torna grupo.
E assim será pelo resto dos dias até que o mundo acabe.
E como há milhares deles espalhados por toda a parte do mundo
difícil é terminar,
nunca haverá um fim.

PS: Não participo de nenhuma seita. Pensamentos retirados de sonhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.