quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Noite.


  Dança da volúpia
Quanto mais me vejo em conspiração
Mais me sinto livre
Me deito em solo sagrado
Perpetuando o mistério
Transformando o bom em negro
Beijo a lua quando deliro
Ele está comigo
Sinto-o respirando embaixo de meus lençóis
A escuridão está ao redor
A vida é tão sem graça
As pessoas são tão cruéis
Ele anda em meio de nós
Sinto seu cheiro a quilômetros  
C>A>K

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.